QUESTÕES RESOLVIDAS DE HISTÓRIA PARA O ENEM E VESTIBULARES – V

HISTÓRIA PARA O ENEM E VESTIBULARES – V

Questão 01

A teoria da democracia participativa é construída em torno da afirmação central de que os indivíduos e suas instituições não podem ser considerados isoladamente. A existência de instituições representativas em nível nacional
não basta para a democracia; pois o máximo de participação de todas as pessoas, a socialização ou “treinamento social” precisa ocorrer em outras esferas, de modo que as atitudes e as qualidades psicológicas necessárias possam se
desenvolver. Esse desenvolvimento ocorre por meio do próprio processo de participação. A principal função da participação na teoria democrática participativa é, portanto, educativa.

(PATEMAN, C. Participação e teoria democrática. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992)

Nessa teoria, a associação entre participação e educação tem como fundamento a:

A) ascensão das camadas populares.

B) organização do sistema partidário.

C) eficiência da gestão pública.

D) ampliação da cidadania ativa.

E) legitimidade do processo legislativo.

Questão 02

TEXTO I

Entre os anos 1931 e 1935, o crescimento da imigração judaica para a Palestina foi exponencial, passando de 4000 imigrantes/ano em 1931 para mais de 60000 em 1935. Em vinte anos, a população judaica havia passado de menos de 10% para mais de 30% da população local.

(GATTAZ, A. A Guerra da Palestina. São Paulo: Usina do Livro, 2002)

TEXTO II

Um estado semi-independente sob controle britânico foi a fórmula que a Grã-Bretanha usou para a administração das áreas que tomara do império turco. A exceção foi a Palestina, que eles administraram diretamente, tentando em vão conciliar promessas feitas aos judeus sionistas, em troca de apoio contra a Alemanha, e aos árabes, em troca de apoio os turcos.

(HOBSBAWN, E. Era dos extremos. São Paulo: Cia. das Letras, 2002)

Nos trechos, são tematizados o destino de um território no período entre as duas Grandes Guerras Mundiais. A orientação da política britânica relativa a essa região está indicada na:

A) criação de um Estado aliado.

B) ocupação de áreas sagradas.

C) reação ao movimento socialista.

D) promoção do comércio regional.

E) exploração de jazidas petrolíferas.

Questão 03

Enfermo a 14 de novembro, na segunda-feira o velho Lima voltou ao trabalho, ignorando que no entretempo caíra o regime. Sentou-se e viu que tinham tirado da parede a velha litografia representando D. Pedro de Alcântara. Como na ocasião passasse um contínuo, perguntou-lhe: – Por que tiraram da parede o retrato de Sua Majestade?

O contínuo respondeu, num tom lentamente desdenhoso:

– Ora, cidadão, que fazia ali a figura do Pedro Banana?
– Pedro Banana! – repetiu raivoso o velho Lima.
E, sentando-se, pensou com tristeza:
– Não dou três anos para que isso seja uma República!

(AZEVEDO, A. Vidas alheias. Porto Alegre: s. e., 1901 – adaptado)

A crônica de Artur Azevedo, retratando os dias imediatos à instauração da República no Brasil refere-se ao(à):

A) ausência de participação popular no processo de queda da Monarquia.

B) tensão social envolvida no processo de instauração do novo regime.

C) mobilização de setores sociais na restauração do antigo regime.

D) temor dos setores burocráticos com o novo regime.

E) demora na consolidação do novo regime.

Questão 04

As camadas dirigentes paulistas na segunda metade do século XIX recorriam à história e à figura dos bandeirantes. Para os paulistas, desde o início da colonização, os habitantes de Piratininga (antigo nome de São Paulo) tinham sido responsáveis pela ampliação do território nacional, enriquecendo a metrópole portuguesa com o ouro e expandindo suas possessões. Graças à integração territorial que promoveram, os bandeirantes eram tidos ainda como fundadores da unidade nacional. Representavam a lealdade à província de São Paulo e ao Brasil.

(ABUD, K. M. Paulistas, uni-vos! Revista de História da Biblioteca Nacional, n. 34, 1 jul. 2008 – adaptado)

No período da história nacional analisado, a estratégia descrita tinha como objetivo:

A) promover o pioneirismo industrial pela substituição de importações.

B) questionar o governo regencial após a descentralização administrativa.

C) recuperar a hegemonia perdida com o fim da política do café com leite.

D) aumentar a participação política em função da expansão cafeeira.

E) legitimar o movimento abolicionista durante a crise do escravismo.

Questão 05

Ô ô, com tanto pau no mato
Embaúba* pe coroné
Com tanto pau no mato, ê ê
Com tanto pau no mato
Embaúba é coroné

*Embaúba: árvore comum e inútil por ser podre por dentro, segundo o historiador Stanley Stein.

(STEIN, S. J. Vassouras: um município brasileiro do café, 1850-1900. Rio de Janeiro:1990)

Os versos fazem parte de um jongo, gênero poético-musical cantado por escravos e seus descendentes no Brasil no século XIX, e procuram expressar a:

A) exploração rural.

B) bravura senhorial.

C) resistência cultural.

D) violência escravista.

E) ideologia paternalista.

Questão 06

A imagem faz referência a uma intensa mobilização popular e pode ser traduzida como:

A) a campanha popular que confrontava a legitimidade das eleições indiretas no país.

B) a manifestação de milhares de pessoas em prol da realização de eleições para o Senado.

C) as passeatas realizadas em prol do fim da Ditadura Militar no Brasil e na Argentina.

D) os comícios e manifestações populares pela abertura política de forma lenta e segura.

E) o movimento que exigia o direito à igualdade de voto para homens e mulheres.

Questão 07

O aparecimento da pólis, situado entre os séculos VIII e VII a.C., constitui, na história do pensamento grego, um acontecimento decisivo. Certamente, no plano intelectual como no domínio das instituições, a vida social e as relações entre os homens tomam uma forma nova, cuja originalidade foi plenamente sentida pelos gregos, manifestando-se no surgimento da filosofia.

(VERNANT. Pensamento grego. RJ: Difel, 2004) Segundo Vernant, a filosofia na antiga Grécia foi
resultado do(a):

A) constituição do regime democrático.

B) contato dos gregos com outros povos.

C) desenvolvimento no campo das navegações.

D) aparecimento de novas instituições religiosas.

E) surgimento da cidade como organização social.

Questão 08

É hoje a nossa festa nacional. O Brasil inteiro, da capital do Império a mais remota e insignificante de suas aldeolas, congrega-se unânime para comemorar o dia que o tirou dentre as nações dependentes para colocá-lo entre as nações soberanas, e entregou-lhe os seus destinos, que até então haviam ficado a cargo de um povo estranho.

(Gazeta de Notícias, 7 de set. 1883)

As festividades em torno da Independência do Brasil marcam o nosso calendário desde os anos imediatamente posteriores ao 7 de setembro de 1822. Essa comemoração está diretamente relacionada com:

A) a construção e manutenção de símbolos para a formação de uma identidade nacional.

B) o domínio da elite brasileira sobre os principais cargos políticos, que se efetivou logo após 1822.

C) os interesses de senhores de terras que, após a Independência, exigiram a abolição da escravidão.

D) o apoio popular às medidas tomadas pel governo imperial para a expulsão de estrangeiros do país.

E) a consciência da população sobre os seus direitos adquiridos posteriormente à transferência da Corte para o Rio de Janeiro.

Questão 09

O New Deal visa restabelecer o equilíbrio entre o custo de produção e o preço, entre a cidade e o campo, entre os preços agrícolas e os preços industriais, reativar o mercado interno – o único que é importante —- pelo controle de preços e da produção, pela revalorização dos salários e do poder aquisitivo das massas isto é, dos lavradores e operários, e pela regulamentação das condições de emprego.

(CROUZET. M. Os Estados perante a crise. In: História geral das civilizações São Paulo. Difel, 1977)

Tendo como referência os condicionantes históricos do entreguerras, as medidas governamentais descritas objetivavam:

A) flexibilizar as regras do mercado financeiro.

B) fortalecer o sistema de tributação regressiva.

C) introduzir os dispositivos de contenção Creditícia

D) racionalizar os custos da automação industrial mediante negociação sindical.

E) recompor os mecanismos de acumulação econômica por meio da intervenção estatal.

Questão 10

No império africano do Mali, no século XIV, Tombuctu foi centro de um Comércio internacional onde tudo era negociado – Sal, escravos, marfim, etc. Havia também um grande comércio de livros de história, medicina, astronomia e matemática, além de grande concentração de estudantes. A importância cultural de Tombuctu pode ser percebida por meio de um velho provérbio: “O sal vem do norte, o ouro vem do Sul, mas as palavras de Deus e os tesouros da sabedoria Vêm de Ombuctu”.

(Assumpção, J E. África: Uma história para ser escrita. Desvendando a história da África. Porto Alegre, UFRGS, 2008 – adaptado)

Uma explicação para o dinamismo dessa cidade e sua importância histórica no período mencionado era o(a):

A) isolamento geográfico do Saara Ocidental.

B) exploração intensiva de recursos naturais.

C) posição relativa nas redes de circulação.

D) tráfico transatlântico de mão de obra Servil.

E) competição econômica dos reinos da região.

GABARITO:

1 – D

2 – A

3 – A

4 – D

5 – C

6 – A

7 – E

8 – A

9 – E

10 – C

Deixe um comentário